Palestras em todo o Brasil - Fale com o Professor Daltro - São Paulo 11 96300809 - Porto Alegre 51 32091008 - Caxias do Sul 54 32231213

Novidades
02 de Julho de 2013
Mulheres no trabalho são mais inovadoras
Mulheres no trabalho são mais inovadoras
Força feminina representa 51% do empreendedorismo no País; especialistas apontam mais habilidade no setor de RH Rodrigo Borba Depois de conquistar o mercado de trabalho, muitas mulheres não se contentam apenas em administrar a comodidade de ter um emprego formal e todas as garantias que ele traz. É o que revela um levantamento da Global Entrepreneurship Monitor, que aponta que a força feminina já responde por 51% dos empreendedores brasileiros na ativa. Na comparação entre os sexos, elas têm mais facilidade para a inovação e para a retenção de talentos. Outro dado, dessa vez da Endeavor, mostra que 57,7% dos homens declararam sentir dificuldades na área de recursos humanos ou no processo produtivo. Esse percentual cai para 34,6% entre o público feminino. A coordenadora da Endeavor no Rio Grande do Sul, Bruna Eboli, destaca que, enquanto os homens se concentram em áreas tradicionais, como a indústria, as mulheres inovam no processo produtivo, no marketing e nos recursos humanos, valorizando a integração da equipe. “As mulheres têm muito mais facilidade no contato com as pessoas e na melhoria dos processos”, compara. Para a especialista, o empreendedorismo é um caminho sem volta. Cita o fato de mais de 70% dos brasileiros já pensarem em ter o seu próprio negócio para fundamentar a teoria. E a tendência é de as mulheres acompanharem essa evolução. No Rio Grande do Sul, marcam presença em, praticamente, todas as áreas, não apenas nos segmentos de moda e beleza, dominados pelo público feminino. “O ambiente industrial ainda é muito masculino”, pondera Bruna. O consultor na área de empreendedorismo da Fundatec, José Eduardo Fróta Albuquerque, ressalta a maior capacidade de gerenciamento delas. A maioria das micros, pequenas e médias empresas têm um ciclo de vida curto, permanece em operação, em média, de 1,5 a 4,5 anos. “A maior dificuldade não é colocar um negócio, mas mantê-lo. E as pessoas não conseguem por dois aspectos básicos: pela falta de capacitação e pela falta de planejamento”, revela. No entanto, dos negócios que conseguem ultrapassar tal barreira, 67% têm mulheres à frente. “Elas têm mostrado maior capacitação, nível de organização e planejamento financeiro. O homem se baseia muito pelo intuitivo”, avalia. Albuquerque também aposta no crescimento das mulheres no ramo empreendedor. Entre os motivos, ele ressalta a disponibilidade de saírem da zona de conforto e a busca pela qualificação. “Muitas vezes, são separadas, divorciadas ou viúvas que precisam dar um novo rumo para suas vidas”, acrescenta. No Brasil, entre 28% e 30% das empreendedoras têm entre 31 e 40 anos. Desse total, de 55% a 60% estão nas regiões Sul e Sudeste. Para Albuquerque, tal desempenho tem a ver com a disponibilidade de elas deixarem a zona de conforto do emprego formal e da casa. “Mostram maior garra e não se importam com a tripla jornada”, diz o consultor. Vinícola em Itaqui se destaca pela administração feminina A inauguração da Vinícola Campos de Cima, em Itaqui, prevista para o início do próximo ano, é a consolidação do sonho de três mulheres: Hortência Ayub, 60 anos, e suas duas filhas, Manuela, 33, e Vanessa, 37. O projeto se iniciou em 2002 com o plantio de 15 hectares de vinhedos na fazenda da família, a 100 quilômetros da cidade. As mudas foram importadas da França e da Itália. O empreendimento, na sua totalidade, exigiu um investimento de R$ 1 milhão. “Queríamos uma alternativa que não fosse o arroz e a pecuária, as principais atividades da fazenda, mas que envolvesse as mulheres”, lembra Hortência. A implantação levou em conta a potencialidade da Metade Sul no segmento. A produção começou em 2006 em parceria com outras vinícolas, e a comercialização deslanchou três anos depois. Atualmente, são produzidas cerca de 40 mil garrafas de vinho por ano. A venda é feita quase toda diretamente ao consumidor e os preços variam de R$ 18,00 a R$ 40,00 a garrafa. Os principais compradores estão em São Paulo, Porto Alegre e Brasília. “A vinícola das mulheres”, como já ficou conhecida na região, não ganhou o nome à toa. Grande parte da mão de obra nos vinhedos é formada por elas. O marido de Hortência, o médico e pecuarista José Silva Ayub, costuma dar sua colaboração ao empreendimento. “Ele também se envolve, mas o negócio é nosso”, faz questão de frisar Hortência. FONTE: http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=127518

Novidades do Professor
Artigos do Professor
Artigos do Professor
Nossas imagens

Clique nas miniaturas para ver as imagens dos eventos realizados pelo Palestrante Professor Daltro.

Vídeos

Confira os vídeos das palestras ministradas pelo Palestrante Professor Daltro.

Enquete
O que ESTRESSA mais um Professor?
Os alunos;
Excesso de trabalho;
Conflitos interpessoas;
Os colegas sempre reclamando;
O salário;
A rotina de trabalho;
As fofocas;
O não trabalhar em equipe;
Bullying na escola
outros...

Enviar

Enquete
No seu trabalho, o que mais ESTRESSA ?
O chefe, coordenador, diretor, supervisor, etc.;
Os colegas;
A jornada de trabalho;
O salário;
Não tenho oportunidade de crescimento;
A rotina do mesmo trabalho sempre;
Não existe desafios;
Falta de treinamentos;
Não gosto do que faço;
outros...

Enviar

Enquete
O que lhe mais MOTIVA em seu trabalho?
O "status" da empresa no mercado;
Uma boa palestra ou treinamento;
O dinheiro (ou salário);
O seu chefe;
Clima organizacional da empresa;
Os colegas de trabalho;
Um novo desafio dentro da empresa;
Plano de carreira;
Os benefícios dessa empresa;
outros ...

Enviar

Enquete
Uma curiosidade ! Você é da EDUCAÇÃO ou EMPRESA?
Educador
Empresa

Enviar

Palestrante | Professor Daltro | CLIQUE E LIGUE GRÁTIS PARA O PROFFESOR DALTRO
contato@professordaltro.com.br